quinta-feira, 15 de dezembro de 2016

Liturgia do Dia - sua Profecia diária


Quinta-feira, dia 15 de Dezembro de 2016

Le jeudi de la 3e semaine de l'Avent

Beato João Henrique Carlos Steeb, presbítero, fundador, +1856, Santa Maria Crucificada de Rosa, religiosa, fundadora, +1855, Santa Cristina, mártir cristã, séc. IV

Comentário do dia
Eusébio de Cesareia : «Que fostes ver ao deserto?»

Is. 54,1-10.

«Alegra-te, ó estéril, que não tiveste filhos, solta brados de alegria e de júbilo, tu que não sentistes as dores da maternidade. Porque são mais numerosos os filhos da abandonada do que os filhos da esposa», diz o Senhor.
Alarga o espaço da tua tenda, sem olhar a despesas, estende sem medo as cortinas das tuas moradas; alonga as cordas, reforça as estacas,
porque vais expandir-te para a direita e para a esquerda: a tua descendência conquistará as nações e povoará as cidades abandonadas.
Não temas, porque não serás confundida, não te envergonhes, porque não serás humilhada. Esquecerás a vergonha da tua juventude e não mais recordarás o opróbrio da tua viuvez.
O teu Criador, Jerusalém, será o teu Esposo e o seu nome é 'Senhor do Universo'. O teu Redentor será o Santo de Israel, que se chama 'Deus de toda a terra'.
Como à mulher abandonada e de alma aflita, o Senhor volta a chamar-te: 'A esposa da juventude poderá ser repudiada?'— diz o teu Deus.
Por um momento abandonei-te, mas no meu grande amor volto a chamar-te.
Num acesso de ira, escondi de ti a minha face, mas na minha misericórdia eterna tive compaixão de ti, — diz o Senhor, teu Redentor.
Comigo sucede como no tempo de Noé, quando jurei que as águas do dilúvio não mais invadiriam a terra. Assim Eu juro não tornar a irritar-Me contra ti, não voltar a ameaçar-te.
Ainda que sejam abaladas as montanhas e vacilem as colinas, a minha misericórdia não te abandonará, a minha aliança de paz não vacilará», — diz o Senhor, compadecido de ti.


Salmos 30(29),2a.3-4.5-6.9.12a.13cd.

SENHOR, eu te enalteço, porque me salvaste e não permitiste que os inimigos se rissem de mim.
Apelei a ti, SENHOR, meu Deus, e Tu me curaste.
Tirastes a minha alma da mansão dos mortos,
vivificastes-me para não descer ao túmulo.

Cantai salmos ao Senhor, vós os seus fiéis,
e dai graças ao seu nome santo.
A sua ira dura apenas um momento
e a sua benevolência a vida inteira.

Ao cair da noite vêm as lágrimas
e ao amanhecer volta a alegria.
Clamo a ti, SENHOR, e imploro a piedade do meu Deus.
Vós convertestes em júbilo o meu pranto:

Por isso o meu coração te cantará sem cessar. SENHOR, meu Deus, eu te louvarei para sempre.
Por isso o meu coração te cantará sem cessar. SENHOR, meu Deus, eu te louvarei para sempre.



Lucas 7,24-30.

Quando os mensageiros de João Baptista se retiraram, Jesus começou a falar dele à multidão: «Que fostes ver ao deserto? Uma cana agitada pelo vento?
Mas que fostes ver? Um homem vestido com roupas finas? Os que vestem com luxo e vivem regaladamente encontram-se nos palácios dos reis.
Que fostes ver então? Um profeta? Sim — Eu vo-lo digo— e mais do que profeta.
É aquele de quem está escrito: 'Vou enviar à tua frente o meu mensageiro, que preparará o caminho diante de ti'.
Eu vos digo que, entre os nascidos de mulher, não há nenhum maior do que João; mas o mais pequeno no reino de Deus é maior do que ele».
Todo o povo que O escutou, incluindo os publicanos, proclamaram a justiça de Deus, recebendo o batismo de João.
Mas os fariseus e os doutores da Lei, que não quiseram receber o batismo, anularam para si próprios o desígnio de Deus.



Tradução litúrgica da Bíblia



Comentário do dia:

Eusébio de Cesareia (c. 265-340), bispo, teólogo, historiador
Comentário sobre Isaías, 40; PG 24, 365-368 (Breviário)

«Que fostes ver ao deserto?»

«Uma voz clama no deserto: preparai o caminho do Senhor, endireitai as veredas do nosso Deus» (Is 40,3). Declara abertamente o profeta Isaías que não é em Jerusalém, mas no deserto, que se há de realizar esta profecia, isto é, a manifestação da glória do Senhor e o anúncio da salvação para toda a humanidade. E tudo isto se cumpriu historicamente e à letra quando João Batista pregou o advento salvador de Deus no deserto do Jordão, onde se manifestou a salvação de Deus. De facto, Cristo manifestou-Se e a sua glória apareceu claramente a todos. [...]

Tudo isto se dizia porque Deus havia de vir ao deserto, intransitável e inacessível desde sempre, que era a humanidade. Com efeito, todo o género humano era um deserto totalmente fechado ao conhecimento de Deus, e nele não podiam entrar os justos de Deus nem os profetas. É por isso que aquela voz manda abrir caminho para o Verbo de Deus, e aplanar os seus obstáculos e asperezas, a fim de que o nosso Deus possa entrar quando vier. [...]

«Sobe ao vértice do monte elevado, tu que anuncias a boa nova a Sião! Ergue vigorosamente a tua voz, tu que anuncias a boa nova a Jerusalém» (Is 40,9) [...] Qual é esta Sião, senão a que antes foi chamada Jerusalém? [...] Não será isto uma maneira de designar o grupo dos apóstolos, escolhidos de entre o povo antigo? Não se tratará daquela que recebeu em herança a salvação de Deus [...], que está situada no vértice, quer dizer, fundada sobre o Verbo, o Filho único de Deus? Na verdade, foi a ela que foi ordenado [...] que anunciasse a todos os homens a boa nova da salvação.  







Textos Retirados de: Evangelho Quotidiano. org