sábado, 21 de janeiro de 2017

Liturgia do Dia - sua Profecia diária


Sabado, dia 21 de Janeiro de 2017

Sábado da 2ª semana do Tempo Comum

Santa Inês, v. m., +304

Comentário do dia
Santa Teresa de Calcutá : Jesus feito nosso alimento

Heb. 9,2-3.11-14.

Irmãos: Na primeira aliança, tinha-se construído um tabernáculo, o primeiro tabernáculo, chamado o "Santo", no qual estavam o lampadário, a mesa e os pães da proposição.
Por detrás do segundo véu, havia outro tabernáculo, chamado "Santo dos Santos".
Mas Cristo veio como sumo sacerdote dos bens futuros. Atravessou o tabernáculo maior e mais perfeito, que não foi feito por mãos humanas, nem pertence a este mundo, e entrou de uma vez para sempre no Santuário.
e entrou de uma vez para sempre no Santuário. Não derramou sangue de cabritos e novilhos, mas o seu próprio Sangue, e alcançou-nos uma redenção eterna.
Na verdade, se o sangue de cabritos e de toiros e a cinza de vitela, aspergidos sobre os que estão impuros, os santificam em ordem à pureza legal,
quanto mais o sangue de Cristo, que pelo Espírito eterno Se ofereceu a Deus como vítima sem mancha, purificará a nossa consciência das obras mortas, para servirmos ao Deus vivo!


Salmos 47(46),2-3.6-7.8-9.

Povos todos, batei palmas,
aclamai a Deus com brados de alegria,
porque o Senhor, o Altíssimo, é terrível,
o rei soberano de toda a terra.

Deus subiu entre aclamações,
o Senhor subiu ao som da trombeta.
Cantai hinos a Deus, cantai,
cantai hinos ao nosso rei, cantai.

Deus é rei do universo:
cantai os hinos mais belos.
Deus reina sobre os povos,
Deus está sentado no seu trono sagrado.




Marcos 3,20-21.

Naquele tempo, Jesus chegou a casa com os seus discípulos. E de novo acorreu tanta gente, que eles nem sequer podiam comer.
Ao saberem disto, os parentes de Jesus puseram-se a caminho para O deter, pois diziam: «Está fora de Si».



Tradução litúrgica da Bíblia



Comentário do dia:

Santa Teresa de Calcutá (1910-1997), fundadora das Irmãs Missionárias da Caridade
«Não há maior amor»

Jesus feito nosso alimento

Quando Jesus veio a este mundo, amou-o tão intensamente, que deu a sua vida por ele. E de que maneira? Convertendo-Se em Pão da Vida: fez-Se para nós pequeno, frágil, desarmado. As migalhas do pão são tão pequenas, que até um bebé pode mastigá-las, até um moribundo pode comê-las. Ele converteu-Se em Pão da Vida para saciar o nosso apetite de Deus, a nossa fome de Amor.

Parece-me que nunca poderíamos chegar a amar a Deus se Jesus não Se tivesse feito um de nós. E foi para nos tornar capazes de amar a Deus que Ele Se fez um de nós, em tudo exceto no pecado. Criados à imagem de Deus, fomos feitos para amar, porque Deus é amor. Pela sua Paixão, Jesus ensinou-nos a perdoar por amor, a esquecer por humildade.

Vai ao encontro de Jesus e encontrarás a paz.







Textos Retirados de: Evangelho Quotidiano. org