segunda-feira, 12 de junho de 2017

Liturgia do Dia - sua Profecia diária


Segunda-feira, dia 12 de Junho de 2017

Segunda-feira da 10ª semana do Tempo Comum

Beato Ludovico Mzyk, presbítero, e companheiros mártires (+1940), Santa Paula Frassinetti, virgem, fundadora, +1882

Comentário do dia
São João Crisóstomo : «Alegrai-vos e exultai, porque é grande nos Céus a vossa recompensa.»

2 Cor. 1,1-7.

Paulo, Apóstolo de Jesus Cristo, por vontade de Deus, e o irmão Timóteo, à Igreja de Deus que está em Corinto e aos cristãos que vivem em toda a Acaia:
A graça e a paz vos sejam dadas da parte de Deus nosso Pai e do Senhor Jesus Cristo.
Bendito seja Deus, Pai de Nosso Senhor Jesus Cristo, Pai de misericórdia e Deus de toda a consolação.
Ele nos conforta em todas as tribulações, para podermos consolar aqueles que estão atribulados, por meio da consolação que nós mesmos recebemos de Deus.
Na verdade, assim como abundam em nós os sofrimentos de Cristo, também por Cristo abunda a nossa consolação.
Se somos atribulados, é para vossa consolação e salvação. Se somos consolados, é para vossa consolação, a fim de suportardes com fortaleza os mesmos sofrimentos que nós suportamos.
A nossa esperança a vosso respeito é firme, porque sabemos que, participando nos sofrimentos, também participareis na consolação.


Salmos 34(33),2-3.4-5.6-7.8-9.

A toda a hora bendirei o Senhor,
o seu louvor estará sempre na minha boca.
A minha alma gloria-se no Senhor:
escutem e alegrem-se os humildes.

Enaltecei comigo o Senhor
e exaltemos juntos o seu nome.
Procurei o Senhor e Ele atendeu-me,
libertou-me de toda a ansiedade.

Voltai-vos para Ele e ficareis radiantes,
o vosso rosto não se cobrirá de vergonha.
Este pobre clamou e o Senhor o ouviu,
salvou-o de todas as angústias.

O Anjo do Senhor protege os que O temem
e defende-os dos perigos.
Saboreai e vede como o Senhor é bom:
feliz o homem que n'Ele se refugia.




Mateus 5,1-12.

Naquele tempo, ao ver as multidões, Jesus subiu ao monte e sentou-Se. Rodearam-n'O os discípulos,
e Ele começou a ensiná-los, dizendo:
«Bem-aventurados os pobres em espírito, porque deles é o reino dos Céus.
Bem-aventurados os que choram, porque serão consolados.
Bem-aventurados os humildes, porque possuirão a terra.
Bem-aventurados os que têm fome e sede de justiça, porque serão saciados.
Bem-aventurados os misericordiosos, porque alcançarão misericórdia.
Bem-aventurados os puros de coração, porque verão a Deus.
Bem-aventurados os que promovem a paz, porque serão chamados filhos de Deus.
Bem-aventurados os que sofrem perseguição por amor da justiça, porque deles é o reino dos Céus.
Bem-aventurados sereis, quando, por minha causa, vos insultarem, vos perseguirem e, mentindo, disserem todo o mal contra vós.
Alegrai-vos e exultai, porque é grande nos Céus a vossa recompensa. Assim perseguiram os profetas que vieram antes de vós».



Tradução litúrgica da Bíblia



Comentário do dia:

São João Crisóstomo (c. 345-407), presbítero de Antioquia, bispo de Constantinopla, doutor da Igreja
Homilia sobre a Segunda carta aos Coríntios

«Alegrai-vos e exultai, porque é grande nos Céus a vossa recompensa.»

Só os cristãos estimam as coisas pelo seu verdadeiro valor, não tendo os mesmos motivos para se regozijarem e se entristecerem que o resto dos homens. À vista de um atleta ferido, levando na cabeça a coroa de vencedor, quem nunca praticou um desporto considera somente as feridas que fazem sofrer aquele homem e não imagina a felicidade que lhe proporciona a sua recompensa. Assim fazem as pessoas de quem falamos: sabem que sofremos provações, mas ignoram porque as suportamos e só consideram os nossos sofrimentos; veem as lutas nas quais estamos envolvidos e os perigos que nos ameaçam, mas as recompensas e as coroas permanecem-lhes ocultas, não menos que a razão dos nossos combates. Como afirma S.Paulo: «Creem que nada temos, e nós possuímos tudo» (2Cor 6,10). [...]

Por causa dos que nos olham, quando somos submetidos a provações por amor a Cristo, suportemo-las corajosamente, mais ainda, com alegria: se jejuamos, espelhemos alegria, como se estivéssemos em delícias; se nos ultrajam, dancemos alegremente como se estivéssemos a ser cumulados de elogios; se sofremos algum mal, consideremo-lo um ganho; se damos alguma coisa a um pobre, persuadamo-nos de que recebemos. [...] Antes de tudo, lembra-te de que combates pelo Senhor Jesus. Assim, entrarás na luta com gosto e viverás sempre na alegria, porque nada nos torna mais felizes que uma boa consciência.







Textos Retirados de: Evangelho Quotidiano. org