segunda-feira, 24 de abril de 2017

Liturgia do Dia - sua Profecia diária


Segunda-feira, dia 24 de Abril de 2017

Segunda-feira da 2ª semana da Páscoa

S. Fidélis (Fiel) de Sigmaringa, mártir, +1622

Comentário do dia
São Justino : Primeiro testemunho histórico do batismo cristão, em Roma, em meados do séc. II

Actos 4,23-31.

Naqueles dias, Pedro e João, tendo sido postos em liberdade, voltaram para junto dos seus e contaram-lhes tudo o que os príncipes dos sacerdotes e os anciãos lhes tinham dito.
Depois de os ouvirem, invocaram a Deus numa só alma, dizendo: «Senhor, Vós fizestes o céu, a terra, o mar e tudo o que neles se encontra;
Vós dissestes, mediante o Espírito Santo, pela boca do nosso pai David, vosso servo: 'Porque se agitaram em tumulto as nações e os povos intentaram vãos projetos?
Revoltaram-se os reis da terra e os príncipes conspiraram juntos contra o Senhor e contra o seu Ungido'.
Na verdade, Herodes e Pôncio Pilatos uniram-se nesta cidade com as nações pagãs e os povos de Israel contra o vosso santo servo Jesus, a quem ungistes.
Assim cumpriram tudo o que o vosso poder e sabedoria tinham de antemão determinado.
E agora, Senhor, vede como nos ameaçam e concedei aos vossos servos que possam anunciar com toda a confiança a vossa palavra.
Estendei a vossa mão, para que se realizem curas, milagres e prodígios, em nome do vosso santo servo Jesus».
Depois de terem rezado, tremeu o lugar onde estavam reunidos: todos ficaram cheios do Espírito Santo e começaram a anunciar com firmeza a palavra de Deus.


Salmos 2,1-3.4-6.7-9.

Porque se agitam em tumulto as nações
e os povos intentam vãos projetos?
Revoltam-se os reis da terra
e os príncipes conspiram juntos
contra o Senhor e contra o seu Ungido:
«Quebremos as suas algemas

e atiremos para longe o seu jugo».
Aquele que mora nos céus sorri,
o Senhor escarnece deles.
Então lhes fala com ira
e com sua cólera os atemoriza:
«Fui Eu quem ungiu o meu Rei

sobre Sião, minha montanha sagrada».
Vou proclamar o decreto do Senhor.
Ele disse-me: «Tu és meu filho, Eu hoje te gerei.
Pede-me e te darei as nações por herança
e os confins da terra para teu domínio.
Hás de governá-los com cetro de ferro,

quebrá-los como vasos de barro».



João 3,1-8.

Havia um fariseu chamado Nicodemos, que era um dos principais entre os judeus.
Foi ter com Jesus de noite e disse-Lhe: «Rabi, nós sabemos que vens da parte de Deus como mestre, pois ninguém pode realizar os milagres que Tu fazes se Deus não está com ele».
Jesus respondeu-lhe: «Em verdade, em verdade te digo: Quem não nascer de novo não pode ver o reino de Deus».
Disse-Lhe Nicodemos: «Como pode um homem nascer, sendo já velho? Pode entrar segunda vez no seio materno e voltar a nascer?»
Jesus respondeu: «Em verdade, em verdade te digo: Quem não nascer da água e do Espírito não pode entrar no reino de Deus.
O que nasceu da carne é carne e o que nasceu do Espírito é espírito.
Não te admires por Eu te haver dito que todos devem nascer de novo.
O vento sopra onde quer: ouves a sua voz, mas não sabes donde vem nem para onde vai. Assim acontece com todo aquele que nasceu do Espírito».



Tradução litúrgica da Bíblia



Comentário do dia:

São Justino (c.100 -160), filósofo, mártir
Primeira Apologia

Primeiro testemunho histórico do batismo cristão, em Roma, em meados do séc. II

Vamos expor de que maneira nós, renovados em Cristo, nos consagrámos a Deus. Aos que estiverem persuadidos e acreditarem no que ensinamos, e prometerem viver em conformidade com essas verdades, exortamo-los a pedirem a Deus o perdão pelos seus pecados, com orações e jejuns, e também nós oramos e jejuamos com eles. Depois, conduzimo-los a um lugar onde haja água e aí são regenerados tal como nós o fomos, isto é, recebem o batismo da água em nome do Criador e Senhor Deus de todas as coisas, do nosso Salvador Jesus Cristo e do Espírito Santo.

De facto, Jesus Cristo disse: «Se não nascerdes de novo, não entrareis no reino dos Céus.» Não se trata, evidentemente, de voltar a entrar no seio materno. O profeta Isaías explicou como podem evitar os pecados aqueles que os cometeram e fazem penitência. São estas as suas palavras: «Lavai-vos e purificai-vos; tirai a malícia das vossas almas e aprendei a praticar o bem.
[…] Vinde então para dialogarmos, diz o Senhor. Ainda que os vossos pecados sejam como o escarlate, Eu os tornarei brancos como a lã» (Is 1,16s). […] Recebemos esta maneira de agir dos Apóstolos. No nosso primeiro nascimento, fomos gerados, sem disso termos consciência, por um instinto natural, na mútua união dos nossos pais. Porém, para termos também um nascimento que não seja fruto da simples natureza e da ignorância, mas de uma escolha consciente, e obtermos pela água o perdão dos pecados cometidos, sobre o que desejar ser regenerado e fizer penitência dos pecados é pronunciado o nome do Criador e Senhor de todas as coisas […].

A esse batismo dá-se o nome de iluminação, porque os iniciados nesta doutrina ficam iluminados na sua inteligência. Mas a purificação daquele que é iluminado também se faz em nome de Jesus Cristo, crucificado sob Pôncio Pilatos, e em nome do Espírito Santo, que, pelos Profetas, predisse tudo o que dizia respeito a Jesus.







Textos Retirados de: Evangelho Quotidiano. org