sexta-feira, 11 de agosto de 2017

Liturgia do Dia - sua Profecia diária


Sexta-feira, dia 11 de Agosto de 2017

Sexta-feira da 18ª semana do Tempo Comum

Santa Clara de Assis, virgem, fundadora, +1253

Comentário do dia
São Paulino de Nola : «Tome a sua cruz e siga-Me»

Deut. 4,32-40.

Moisés falou ao povo, dizendo: «Interroga os tempos antigos que te precederam, desde o dia em que Deus criou o homem sobre a terra. Dum extremo ao outro dos céus, sucedeu alguma vez coisa tão prodigiosa? Ouviu-se porventura palavra semelhante?
Que povo escutou como tu a voz de Deus a falar do meio do fogo e continuou a viver?
Qual foi o deus que formou para si uma nação no meio de outra nação, por meio de provas, sinais, prodígios e combates, com mão forte e braço estendido, juntamente com tremendas maravilhas, como fez por vós o Senhor vosso Deus no Egipto, diante dos vossos olhos?
Foi a ti que Ele mostrou estes factos, para reconheceres que o Senhor é Deus e não há outro fora d'Ele.
Do céu fez ouvir a sua voz para te ensinar; na terra mostrou-te o seu grande fogo e do meio do fogo ouviste as suas palavras.
E porque Ele amava os teus pais e depois deles escolheu a sua descendência, fez-te sair do Egipto pela sua presença e pelo seu poder,
despojando à tua frente nações maiores e mais fortes do que tu, para te introduzir na sua terra e conceder-ta como herança, como hoje se verifica.
Considera hoje e medita em teu coração que o Senhor é o único Deus, no alto dos céus e cá em baixo na terra, e não há outro.
Cumprirás as suas leis e os seus mandamentos, que hoje te prescrevo, para seres feliz, tu e os teus filhos depois de ti, e tenhas longa vida na terra que o Senhor teu Deus te vai dar para sempre».


Salmos 77(76),12-13.14-15.16.21.

Recordarei os feitos gloriosos do Senhor,
quero recordar os antigos prodígios.

Quero lembrar todas as vossas façanhas
e meditar nas vossas obras.


Meu Deus, santos são os vossos caminhos.
Que divindade tão grande como o Senhor?

Vós sois o Deus que realiza maravilhas,
que manifestou entre as nações o seu poder.


Resgatastes o vosso povo com o vosso braço,
os filhos de Jacob e de José.

Conduzistes o vosso povo como um rebanho,
pela mão de Moisés e Aarão.





Mateus 16,24-28.

Naquele tempo, disse Jesus aos seus discípulos: «Se alguém quiser seguir-Me, renuncie a si mesmo, tome a sua cruz e siga-Me.
Pois quem quiser salvar a sua vida há-de perdê-la; mas quem perder a sua vida por minha causa, há-de encontrá-la.
Na verdade, que aproveita ao homem ganhar o mundo inteiro, se perder a sua vida? Que poderá dar o homem em troca da sua vida?
O Filho do homem há-de vir na glória de seu Pai, com os seus Anjos, e então dará a cada um segundo as suas obras».
Em verdade vos digo: Alguns dos que estão aqui presentes não morrerão, antes de verem chegar o Filho do homem na glória do seu reino».



Tradução litúrgica da Bíblia



Comentário do dia:

São Paulino de Nola (355-431), bispo
Carta 38, 3-4.6; PL 61, 359

«Tome a sua cruz e siga-Me»

Cumprindo o misterioso desígnio da sua bondade, o Senhor assume a condição de servo e consente em abaixar-Se por nós até à morte de cruz (Fil 2,8). Por este abaixamento visível, realiza a nossa elevação até ao Céu, que é interior e invisível. Vê onde estávamos caídos; e compreende que foi pelo desígnio da sabedoria e da bondade de Deus que fomos devolvidos à vida. Com Adão, caímos pelo orgulho; é por isso que nos abaixamos em Cristo, a fim de apagarmos a antiga falta pela prática da virtude contrária. Ofendemos o Senhor pelo orgulho, agradamos-Lhe agora pela nossa humildade.

Alegremo-nos, glorifiquemo-nos no Senhor, que fez nossos o seu combate e a sua vitória, dizendo-nos: «Coragem, Eu venci o mundo» (Jo 16,33). [...] Ele, o invencível, combaterá por nós e vencerá em nós. Então, o príncipe das trevas será lançado para o exterior (cf Jo 12,31), pois não é expulso do mundo, onde se encontra por toda a parte, mas do coração do homem: quando a fé penetra em nós, afasta-o para dar lugar a Cristo, cuja presença lança fora o pecado. [...]

Que os oradores guardem a sua eloquência, os filósofos a sua sabedoria, os reis o seu reino; para nós, a glória, as riquezas e o reino são Cristo; para nós, a sabedoria é a loucura do evangelho; para nós, a força é a fraqueza da carne e a glória é o escândalo da cruz (1Cor 1,18-23).







Textos Retirados de: Evangelho Quotidiano. org